Proteção - Salmo 124

Rev. Marcelo Smargiasse

A forma de nos expressarmos diante de uma possibilidade é através do “se”. Estas duas letras juntas têm o poder de nos fazer pensar sobre a distância entre o real e o imaginado, o desejado. Exemplifico: “Se eu tivesse estudado, esta prova estaria no papo!” Carregam também estas duas letras a força intransigente da condição: para se ter algo, para que algo aconteça, precisamos do start, da ignição, da condição satisfeita. Exemplifico: “Se eu estudar, a prova está no papo!”

O Salmo 124 começa com este “se”, indicando uma outra realidade caso Yahweh não estivesse com seu povo. Caso não estivesse, as conseqüências teriam sido trágicas: os homens irados os teriam engolido vivos, as águas os teriam submergido e as águas revoltosas teriam passado sobre a garganta deles. O salmista tem consciência de que todas estas coisas não tiveram nem chance de acontecer porque Deus não deixou de assisti-los. Por isso no versículo 6 o salmista levanta uma voz de louvor, de bendição.

O perigo era real. Realmente existiam esses homens que queriam derrubá-los, passar sobre eles, transformar suas vidas em um caos. É assim que o salmista entende quando se refere às águas. As águas turbulentas, como ele diz, o fazem lembrar de dois momentos de sua tradição religiosa: o primeiro diz respeito à criação, em que as águas eram a única coisa sobre a qual o espírito de Deus pairava. Havia caos. Deus ordenou o caos, separando águas de águas. O segundo diz respeito ao dilúvio, águas de morte. Águas turbulentas de caos. É assim que o salmista retrata os seus perseguidores. Mas “é bendito Yahweh que não nos deu por presa aos dentes deles”!

O salmista se vê, agora, livre: como um pássaro que fugiu da arapuca. Ele inicialmente se via nela, sem condições de fugir, sonhando sempre com a possibilidade de ser livre outra vez: “Ah, se eu pudesse voar de novo”! Mas a arapuca foi quebrada: alguém a quebrou e os orantes aproveitaram a oportunidade para fugir, para tornar realidade aquilo que era sonho.

Nossas vidas precisam ser impactadas com o fato de que Deus transforma nossa realidade. Pode ser que nos sintamos em meio a um caos. O salmo nos ensina a crer na intervenção divina. Nosso socorro, diz o salmo, está em Yahweh que fez o céu e a terra. Palavras reconfortantes: a certeza do socorro se estabelece em alguém muito maior do que o orante, capaz de transformar criativamente sua realidade.

Que Deus nos abençoe sempre, dando-nos fé, coragem e perseverança para n’Ele confiarmos.

Amém.